Campo Pequeno “De novo em Grande” – Crónica da corrida de ontem no Campo Pequeno – Por: Duarte Justino

Campo Pequeno “De novo em Grande”

Em boa hora a Monumental praça de Toiros do Campo Pequeno, não mais que a Catedral do Toureio a Cavalo abriu as suas portas para inaugurar a temporada em Lisboa.

Com um cartel de luxo, Lisboa recebeu os Cavaleiros António Ribeiro Telles, Marcos Bastinhas e Francisco Palha.
Pegaram nesta noite, os Amadores de Lisboa e Coruche. Lidou-se um imponente Curro da Ganadaria Canas Vigouroux, irrepreensível de apresentação e trapío.
De salientar a seriedade que o empresário de Lisboa, Luís Miguel Pombeiro empregou no Curro que levou até à Monumental, foram 6 astados de categoría.

No que concerne propriamente ao espectáculo, António Ribeiro Telles andou em timbre muito positivo. Há que ressalvar, que o seu lote foi sem dúvida o pior da corrida. Ambos os seus Toiros, de apresentação extraordinária, mas de comportamento díspar, algo reservados e de meias arrancadas. O Mestre da Torrinha deixou bons compridos e no seu segundo do lote deixou bons ferros curtos com o “Alcochete”. Não foi a noite sonhada certamente, mas mais tardes e noites virão para mostrar toda a sua torería e classe, porque todos sabemos que nada tem a provar!

Marcos Bastinhas, veio até Lisboa para mostrar uma vez mais o nome que ostenta. Muito bem no seu primeiro toiro, a dar distâncias nos compridos e a cravar nos médios de alto a baixo. Lide sem falhas, toureio e bem, cravou e bem. No segundo do Lote, o quinta da corrida, recebeu o seu toiro à porta gaiola, mas foi nos curtos que a assistência veio “boca abajo”! Deixou dois curtos de praça a praça, a dar distâncias e a fazer uma pequena batida ao píton contrário, reuniões ao limite e a deixar dois curtos de extrema importância! O público pediu e Marcos deixou um par de bandarilhas que por culpa do oponente, isto porque o de Canas já estava demasiado reservado em tábuas, o par não resultou na perfeição. Foi uma noite triunfal!

Francisco Palha, que recentemente havia triunfado em Huelva tendo saído pela porta grande, vinha com ilusão e vontade de triunfar em terras lusas. Conseguiu!
Palha em ambos os seus toiros deixou duas extraordinárias portas gaiolas, a primeira ajustadíssima. Deixou curtos de nota irrepreensível, a dobrar-se bem com o toiro e a rematar e bem as ferros. Francisco tem um conceito do toureio muito próprio, de muita verdade ! O ir de frente ao toiro e a dar vantagens, a cravar de alto a baixo e ao estribo. Que lide! No seu segundo toiro, o mesmo, a meio da lide mostrou algumas dificuldades mas Francisco deixou bons curtos!
No que concerne ao capítulo das ramagens, os Forcados Amadores de Lisboa pegaram Vitor Epifânio, João Varandas e Duarte Mira, todos ao primeiríssimo intento.

Pelos Amadores de Coruche, que esta temporada comemoram o cinquentenário, pegaram António Tomás à primeira tentativa, Miguel Raposo ao segundo intento e João Prates fechou a noite com uma consumada primeira tentativa.

Em jeito de suma, foi uma noite em que todos estavam dispostos. O Público, os Toureiros, os Forcados e claro o Curro de Toiros.
Inaugurou-se desta forma, com casa praticamente esgotada dentro das limitações. Esperamos por si, no dia 26 de Agosto na Monumental, com a Homenagem internacional ao Mestre João Moura!

Incidências – Guardou-se um sentido e respeitoso minuto de silêncio em Memória de João Cortesão e as vítimas de Covid19.

Duarte Justino