Crónica da corrida de ontem em Salvaterra

Praça de Toiros de Salvaterra de Magos – 09/05/21 – Corrida de Toiros

Director: Marco Cardoso – Veterinário: José Luís Cruz – Lotação: Esgotado

Cavaleiros: António Telles, Ana Batista, Francisco Palha

Forcados Amadores de Santarém e Amadores de Coruche

Ganadarias: (por ordem de lide) Fernandes de Castro, nº 101 , 610 kg; Veiga Teixeira, nº 697, 540kg; Murteira Grave, nº 5, 530kg; Canas Vigoroux, nº 584, 580 kg; Vinhas, nº 157, 580 kg; Dr. António Silva, nº 101, 590kg.

LIÇÃO DE CÁTEDRA DE ANTÓNIO TELLES NO QUARTO DA ORDEM. VEIGA TEIXEIRA E VINHAS VENCEM TROFÉUS BRAVURA E APRESENTAÇÃO.

Como se tratava de uma corrida concurso de ganadarias e estavam em disputa os Troféus Bravura (João Ramalho) e Apresentação (José de Sousa), comecemos a nossa análise à corrida com a apreciação aos toiros lidados. O primeiro, de Fernandes de Castro, estava rematado de carnes , era cornicurto e foi mansote com tendência a tábuas. O segundo, de Veiga Teixeira, muito em tipo, bem armado, foi codicioso e teve bom comportamento durante a lide. O terceiro, de Murteira Grave, bem apresentado, ligeiramente bizco do piton direito, teve qualidade mas faltou-lhe romper a mais na lide. O de Canas Vigoroux, muito bem apresentado e com córnea equilibrada foi um toiro que cumpriu pelos mínimos e muito bem toureado, Em quinto lugar lidou-se um nobre e de portáveis investidas da ganadaria Vinhas, muito no encaste Santa Coloma quer quanto a comportamento quer quanto a apresentação. E em último lugar um toiro de Dr. António Silva que era aberto de cornamenta, e foi a mais durante a lide mas a que faltou alguma chama… O júri, composto por este vosso servidor, por Miguel Ortega Cláudio e o Dr. Vasco Lucas, por maioria de votos decidiu atribuir os prémios de Bravura ao de Veiga Teixeira e o de apresentação ao de Vinhas, com alguma divisão de opiniões na bancada.

Nem sempre se pode agradar a gregos e troianos e enquanto houver dois seres pensantes haverá duas opiniões possíveis. Mas uma coisa é discordar da decisão e outra é utilizar linguagem menos própria quando não se concorda com a decisão. Aceito os assobios, não tolero faltas de educação e de respeito.

Posto isto, passemos ao que vimos e sentimos nas actuações dos três toureiros e dos dois Grupos de Forcados.

António Telles esteve em António Telles. Simplesmente isso. E se lidou bem o primeiro da tarde, com bons momentos também na cravagem da ferragem, foi frente ao toiro de Canas que abriu uma vez mais o livro e disse o porquê do seu estatuto de figura e mestre reconhecido por todos quantos amam o toureio de verdade, a lide precisa, a colocação do toiro e o desenho das sortes. Tudo foi feito com conta, peso e medida, dando importância ao toiro e colocando ferros de elevado nível numa actuação que foi aplaudida de pé por todos quantos esgotaram a lotação possível em Salvaterra de Magos. Foi um triunfo gordo que vai ficar gravado nos momentos estelares desta temporada.

Ana Batista esteve francamente bem no segundo comprido ao de Teixeira, uma sorte á tira muito bem executada. Com a ferragem curta soube ler bem o toiro e apesar de duas passagens em falso deixou bons curtos, lidando bem e colocando o toiro nos melhores terrenos para a consumação das sortes. No quinto da tarde teve os seus melhores momentos na ferragem curta frente a um toiro que teve francas investidas. O primeiro e o quarto curtos foram de nota elevada e a pisar terrenos de compromisso., o que público premiou com ovaçãoes. Uma actuação muito conseguida e “em casa”.

Terceiro cavaleiro em praça, Francisco Palha teve uma lide de altos e baixos frente ao de Murteira Grave. Um bom comprido e dois bons curtos foram os momentos altos da lide onde nem sempre encontrou o melhor terreno para cravar. Mas frente ao sexto da ordem, entrou com ganas e recebeu-o com um bom comprido em sorte de gaiola.  A fase final da lide é de muito bom nível, a deixar o toiro sair de largo e cravar bons ferros. Foi uma lide em crescendo e que deixou ambiente.

Boa tarde e grandes pegas de caras, algumas delas duras, todas ao primeiro intento por parte dos dois Grupos de Forcados Amadores em praça, Santarém e Coruche, mostrando muita coesão nas ajudas. Pelos Amadores de Santarém foram forcados de cara Francisco Graciosa, António Taurino e Salvador Ribeiro de Almeida, enquanto pelos Amadores de Coruche foram à cara dos toiros os forcados Miguel Raposo, Tiago Gonçalves e António Tomaz

A corrida foi dirigida por Marco Cardoso e assessoria do veterinário José Luís Cruz.

Texto: António Lúcio